quarta-feira, 27 de março de 2013

DINÂMICA EM GRUPO: Troca de um segredo


 TROCA DE UM SEGREDO
- Participantes: de 10 á 30 pessoas
Tempo Estimado: 45 minutos á 1 hora.
 Para quê aplicar?  Problemas Pessoais, que possa ser discutido com um grupo, e/ou problemas em falar de seus próprios problemas internos.
 Objetivo: Fortalecer o companheirismo   entre os membros do grupo, fazendo que tornem-se mais próximos ao sentimento alheio. 
 Material: Lápis e papel para os integrantes da dinâmica.
Método: O Psicólogo (ou psicopedagogo)  distribui um pedaço de papel e um lápis para cada integrante do grupo  que deverá escrever algum problema, angústia , dificuldade e frustrações ,o  por que está passando por esta situação e não consegue expressar oralmente .
Deve-se recomendar que os papéis não sejam identificados a não ser que o integrante assim desejar.
 Os papéis devem ser dobrados do mesmo modo  e colocados em uma caixinha no centro do grupo.
O Psicólogo (ou psicopedagogo),embaralha todos os papéis e  distribui aleatoriamente entre os integrantes.
Neste ponto, cada integrante deve analisar o problema recebido como  se fosse seu em particular  e procurar definir qual seria a sua solução para o mesmo.
 Após certo intervalo de tempo, definido pelo Psicólogo (ou psicopedagogo) , cada integrante  do grupo deve explicar para todos  em primeira pessoa o problema recebido, lendo-o em voz alta como se fosse o problema dele próprio  e colocando uma possível  solução (ex:Com este meu problema, ao refletir eu penso que eu posso fazer isso para mudar essa situação).
 Esta etapa deve ser realizada com bastante seriedade não sendo admitidos quaisquer comentários ou perguntas sobre o tema levantado pela pessoa.
 Em seguida é aberto o debate com relação aos problemas colocados e as soluções apresentadas.Todos do grupo podem comentar sobre os problemas e as soluções que deram .
Esta dinâmica faz com que TODOS que estão na sala ouçam o problema de todos, mesmo que anonimamente, e assim sendo despertam soluções . É um grupo inteiro trabalhando para a solução de um problema em questão, é o grupo inteiro prestando atenção em um problema e ajudando resolve-lo.A pessoa sente-se mais confortável com esse trabalho, e também consegue compartilhar mesmo que de forma grupal, opinando também em seu problema mesmo que em anonimato, e descobrindo o que o grupo sente, e talvez o que o grupo passa de problemas semelhantes e até maiores.
Possíveis questionamentos:- Como você se sentiu ao descrever o problema?- Como se sentiu ao explicar o problema de um outro?- Como se sentiu quando o seu problema foi relatado por outro?- No seu entender, o outro compreendeu seu problema?- Conseguiu pôr-se na sua situação?- Você sentiu que compreendeu o problema da outra pessoa?- Como você se sentiu em relação aos outros membros do grupo?- Mudaram seus sentimentos em relação aos outros, como consequência da dinâmica?   

terça-feira, 26 de março de 2013

Contos de Fadas e Psicanálise



Quando eu escrevi esse artigo em 2009 juntamente com uma Pedagoga que lecionava para crianças de 04 á 12 anos, pude compreender que mesmo fazendo uma critica concreta sob os contos de fadas percebi que precisamos dessas histórias, para basear nossas próprias histórias individuais, os contos de fadas infantis abrange   conteúdos latentes e manifestos do inconsciente e da personalidade da criança, mostra como elas  aprendem e são atingidas por essas mensagens e como elas são de grande importância no seu desenvolvimento e caráter psíquico, ajudando-as a lidar com coisas do dia dia, soluções   conquistas fantasias e frustrações . Li uma vez que a criança sente necessidade de contos de fadas tanto quanto o adulto sente a necessidade de sonhar. é exatamente isso, logicamente que os contos de hoje são contados erroniamentes, principalmente em adaptações mais o caráter simbólico na maioria não se perde.Um grande pesquisador deste campo é Bruno Bettelheim Autor do livro : Psicanálise dos Contos de Fadas.  Nos próximos Posts pretendo colocar o artigo publicado na Biblioteca Nacional sobre os contos de Fada que escrevi em 2009.




se você quer ler mais sobre contos de fadas e Psicanálise 

Fantoches para contos - Narrando uma nova Crônica


Você já ouviu uma historia bem contada? E quando a é narrada com fantoches? A história fica muito mais viva!Completamente Dinâmica e engraçada, as vezes aspectos inconscientes afloram nessas crônicas o que merece uma atenção um pouco maior. Os fantoches podem ser criados de qualquer forma, eu gosto muito desses de papéis e dobraduras que trabalham a psicomotricidade da criança, faz com que ela tenha cuidado em colar e dobrar, o que leva boas risadas .
 Deixe a criança elaborar seu fantoche dê somente o molde para pintar, dobrar e colar deixa que faça o que ela quiser no fantoche,  estimule a criatividade dela, você também pode fazer para motiva-la, coloque tintas coloridas, lápis de cor, giz de cera, canetinhas, pincéis Glitter e etc..  .
 Ao terminar o fantoche,  peça para que a criança conte o nome do fantoche e aonde ele vive?, o que ele faz?,quem é sua família?  ele gosta da família que ele vive? Comece fazer com que a criança teça uma teia narrativa que ela própria desenvolveu .
Você irá perceber a semelhança com a vivência da criança, e histórias fantasiosas da cabeça criativa, este método pode ser trabalhado tanto aspectos de observação clinica para história , enredo e observação analítica,  quanto trabalho de criatividade dinâmica em Escolas.
Estes fantoches foram elaborados por mim para a exposição de Arte Gestalt da FASU em Garça ano de 2011.Porém eu já apliquei em diversas vezes para escolas de crianças com  05 á 12 anos de idade. 

Alguns dos Fantoches: 


 Fantoches disponivel em: 

Jogo Psico-pedagógico COMO VOCÊ SE SENTE?


 Em área Escolar , principalmente com crianças de 04 á 10 anos pode-se aplicar este jogo.
  A ideia central é que o próprio   Psicólogo ou Psicopedagogo  elabore o jogo , cortando e desenhando junto á criança.

1 PASSO:
- Você deve ter EVA's  coloridos , um para fazer um painel, outro para cortar em pequenos pedacinhos
- Tesoura de Picotar (para cortar os pedacinhos)
- Canetinha para desenhar (opcional)
- Cola quente
-Prendedor
- Letras cortadas em EVA (também pode ser feito pelo profissional se desejar, ou escrito)
-Olhos de plástico decorativos (opcional)
- Papel impresso com sentimentos (se preferir pode escrever com a canetinha)


2 PASSO:

-Você vai utilizar uma folha do EVA e escrever (ou colar com cola quente ) COMO SE SENTE?
-Em sequencia coloque problemas do cotidiano da criança EX: ESCOLA, FAMÍLIA, CASA, AMIGOS, PAPAI, MAMÃE, IRMÃOZINHO e etc...
- Decore junto com a criança, faça com que ela goste daquilo que vocês estão construindo juntos.
-Corte pequenas pedacinhos de EVA e cole com cola quente sentimentos como:
MEDO, FELIZ, ESTRANHO, VERGONHA, RAIVA, CULPA, ALEGRIA, PAZ e etc...
-Faça com que a criança todos os dias pegue os sentimentos relativos ao problema existencial e coloque no prendedor, deixe pregado até o próximo encontro e vá notando as mudanças.
   Este jogo tem o objetivo de aproximação tanto com Psicólogos quanto com Pedagogos e Psicopedagogos.
   Já usei muitas vezes esse jogo para aproximação terapêutica, mas gosto muito de usa-los em Escolas , ensinando-os para os professores para um método de trabalho diário com a turma.
  Este jogo simbólico  pode dar um desfecho de uma conversa sobre os sentimentos da criança, para um trabalho clinico, ou escolar, levantando-se hipóteses relativas as vivencias do aluno e trabalhando-se com elas de modo simples, porém muito dinâmico.
 Este jogo pode ser aplicado individualmente, ou em grupo, mas a dinâmica desse jogo em grupo fica para um próximo post.   até mais.



Quer saber mais de jogos e Psicologia? Leia mais>
Disponivel em PDF
http://jogoscooperativos.files.wordpress.com/2012/06/jogos-psicologia-e-educacao.pdf

segunda-feira, 25 de março de 2013

Filme: ONDE VIVEM OS MONSTROS - Uma análise




ONDE  VIVEM OS MONSTROS.

    Ao assistir esse filme de imediato já nos traz algumas coisas que necessitam ser estudadas com um olhar Psicanalítico .
     As primeiras cenas do filme o garoto Max é notavelmente excluído do sistema familiar,  a ausência da família, de sua irmã mais velha com os amigos, faz com que Max se afaste ainda mais do mundo , também é demonstrada a falta de postura materna e a ausência paterna  , trazendo o pequeno Max para um mundo ainda mais introvertido e fantasioso para suprir seus problemas sociais. 
       A selvageria (id) é relatada quando Max se veste com uma roupa de Lobo e em um ataque de fúria,  grita com sua mãe, e a morde.(fase oral)
       Com isso Max foge de sua casa , correndo entre a cidade para fugir de seus problemas, onde encontra um barco (acesso ao inconsciente ) que o leva á uma pequena ilha onde encontra Monstros brigando por suas casas desconcertadas. (neste ponto Max vê seus próprios monstros internos brigando pela mesma estrutura, uma família sem estrutura no lar.)
     Ao entrar em contato com os monstros , eles os ameaçam de come-lo (colocar para dentro- oral) onde o menino mente que era um Rei e começa então governa-los com uma carga egoica exacerbada.
   No decorrer do filme Carol (ego de max) começa a mostrar ciumes pela sua própria irmã, assim como o Max do começo do filme,  demonstra Max colocando as maiores qualidades de seus monstros, fazendo-os trabalharem juntos como fragmentos de seu próprio Eu, e consequentemente de suas próprias emoções.
   O egoista, o carente, o coração, a baixo-auto-estima, o brigão, o desatento e o introvertido. =Todos os personagens são fragmentos de seu Ego, Id e Super-ego.
   Mesmo com tantos problemas, Max consegue fazer um Forte onde ninguém pode entrar (Couraça) , porém 2 corujinhas a pedido da irmã acabam entrando (assim como em sua casa, os amigos da irmã adentram a casa e Max fica com ciumes) nesta parte do filme é Carol (seu ego) que fica com ciumes , onde acabam brigando. E em uma das brigas Carol acaba arrancando o braço de seu amigo (mordendo o braço  da mãe) onde todos que ali estavam acabam ficando tristes com Carol, assim como seus familiares ficaram com Max quando ele ficou descontrolado.
 Max e Carol Correm pela floresta , e Carol em um ataque de fúria querendo matar  Max.A irmã KW então para protege-lo coloca-o dentro de sua boca, engolindo-o (onde mostra que ele está colocando sua irmã dentro de seus conceitos, internalizando-a) onde então eles iniciam um dialogo onde Max consegue compreender a ira de Carol e o porque ele estava tão magoado com Max por ter mentido.  
  Carol acaba indo em bora para longe e quebrando todas as coisas que eles construíram , Max ao compreender que Carol já sabia que ele sempre mentira e de que a verdade que ele nunca foi Rei é revelada , ele decide ir em bora para sua casa novamente com o barquinho (processo para passagem do inconsciente para o consciente novamente.) Então Max se despede de todos os monstros (Seus monstros internos) podendo compreende-los , trabalha-los e então Carol aparece chorando e gritando em simbologia de um Adeus. (onde Max se desprende de seus monstros internos )
     Este filme traz uma alta mensagem Simbólica em seu enredo, traz uma carga dramática e a Psicologia atua do começo ao fim deixando a mensagem que o mundo não é como sempre queríamos  que ele  fosse, nem é como gostaríamos, e mesmo que em nossas fantasias acontecem coisas da qual  não conseguimos controlar,porém temos que compreender nossos monstros, e trabalharmos juntos com eles para que juntos podermos vencer nossos medos e frustrações em busca de uma vida equilibrada e saudável no possível .  

Artigo Elaborado  por Cheiza C.P

ainda não leu o livro  Onde vivem os monstros

ANEXO
REFERÊNCIA DA FICHA TÉCNICA DO FILME:


Título original
Where The Wild Things Are
Curiosidades
2 curiosidades
Distribuidor
WARNER BROS.
Bilheterias Brasil
17.908 ingressos
Ano de produção
2009
Orçamento
US$ 100 milhões
Data de lançamento em VOD
-
Relançamento
-
Lançamento do DVD
-
Língua
Inglês
Lançamento do Blu-ray
-
Formato de produção
35 mm
Cor
Colorido
Formato de áudio
Dolby Digital
Tipo de filme
longa-metragem
Formato de projeção
2.35 : 1 Cinemascope



Psicanálise? O que é isso?


    Varias vezes alunos de Psicologia ingressantes já me perguntaram o que é Psicanálise com tamanhas duvidas  que pareciam que falavam de um monstro de 8 cabeças .
Mas a simplicidade da resposta é conquistadora:

 _A Psicanálise é uma vertente da Psicologia que tem como principal técnica a cura pela fala!
    A psicanálise surgiu na década de 1890, pelo nosso querido  Sigmund Freud, através de conversas com pacientes,Freud estabeleceu o primeiro vinculo com o paciente em meio de escuta e interpretação da fala, que até hoje é a ferramente mais usada na Psicologia Moderna.Freud descobriu a Cura Pela Fala, depois de inúmeras tentativas de Hipnoterapia em Pacientes Histéricos , Ao observar a melhoria de pacientes de Charcot (Seu mentor), elaborou a hipótese  de que a causa da doença era completamente Psicológica, deixando de ser orgânica  Essa hipótese serviu de base para seus outros conceitos, como o processo do inconsciente. 
   
 Freud acreditava que o Desejo libidinal ou sexual  era a energia motivacional primária da vida humana, assim como suas técnicas terapêuticas. Ele abandonou o uso de hipnose em pacientes com histeria, em favor da interpretação do conceito de interpretações do sonho e da Associação Livre , como vias de interpretação para técnicas de acesso ao inconsciente 

 O método básico da Psicanálise são  sonhos, esperanças, desejos, fantasias, como também as experiências vividas nos primeiros anos de vida em família estudadas com alta complexidade . 

O analista (ou Psicanalista)  Tem como propósito descobrir as necessidades, complexos, traumas e tudo aquilo que perturba o equilíbrio emocional do indivíduo e que se encontra recalcada (afastada e presa) no inconsciente, visando a reeducação afetiva da pessoa, por meio da conscientização dos motivos que a levam a ter determinados comportamentos ou sintomas. 

A análise consiste essencialmente na interpretações simbólicas que o inconsciente traz porém nem todas as vezes esses Recalques são sintomas negativos.

Também é estudado na Psicanálise a forma saudável que se consiste no termo Sublimação, atualizado por J. Lacan em seus estudos do individuo saudável.

Concluindo não há como falar de Psicanálise sem tocar no nome do grande pai da Psicanálise Sigmund Freud, que nos deixou 24 obras completas de estudos Psicanalíticos que são temas amplamente atuais e discutidos até hoje em nosso mundo moderno.

O QUE O PSICÓLOGO FAZ?



Acredito eu que essa duvida paira no universo interior de muitos.
O que o Psicólogo faz? Como ele trabalha? Pq há tantos Psicólogos que trabalham de maneiras diferentes?
Muitos pensam que a Psicologia é simplesmente ouvir o paciente no divã, porém a realidade é muito longe disso.
A Psicologia contempla grandes áreas de atuação que o profissional formado em Psicologia pode atuar, entre elas estão:

Aconselhamento psicológico
Adicções
Engenharia psicológica (ergonomia do trabalhador )
Hipnose psicológica (Hipnoterapia)
Neuropsicologia
Pedagogia Terapêutica
Plantão psicológico
Psicodiagnósticos
Psicofarmacologia e abuso de substâncias químicas
Psicologia e arte
Psicologia cognitiva
Psicologia comunitária
Psicologia do consumidor
Psicologia dos desastres
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia Educacional
Psicologia escolar
Psicologia dos Esportes e dos exercícios
Psicologia da família
Psicologia hospitalar
Psicologia Infantil
Psicologia institucional
Psicologia internacional
Psicologia jurídica (forense)
Psicologia médica
Psicologia militar
Psicologia da mulher
Psicologia da reabilitação
Psicologia da religião
Psicologia da saúde
Psicologia social
Psicologia do trabalho
Psicologia do trânsito
Psicoterapia (diversas)
Psicologia Gestalt
Psicanálise
Psicoterapia Cognitivo-Comportamental
Psicologia Social
Psicodinâmica
analítica
humanista
evolucionista
Psicologia Sistêmica 
Constelação familiar
Psicologia Junguiana
 Psicologia Hospitalar

A enorme quantidade de perspectivas e de campos de pesquisa psicológicos corresponde à enorme complexidade do ser humano. O fato de diferentes escolas que existem e se completarem mutuamente demonstra que o ser humano pode e deve ser estudado, observado, compreendido sob diferentes aspectos e trabalhado em diferentes formas. 
Essa realidade toma forma no modelo biopsicossocial, que serve de base para todo o trabalho do Psicólogo , desde a pesquisa mais básica até a prática d trabalho junto de seu paciente ou do grupo. Esse modelo afirma que o comportamento e os processos mentais humanos são gerados e influenciados por três grupos de fatores:
Fatores biológicos - como a predisposição genética e os processos de mutação que determinam o desenvolvimento corporal em geral e do sistema nervoso em particular, etc.;
Fatores psicológicos - como preferências, expectativas e medos, reações emocionais, processos cognitivos e interpretação das percepções, etc.;
Fatores socioculturais - como a presença de outras pessoas, expectativas da sociedade e do meio cultural, influência do círculo familiar, de amigos, etc., modelos de papéis sociais.
Estes fatores fazem com que o Psicólogo possa completar de contextos, idéias, ideais e vivencias do individuo para que assim possa se sequenciar seu trabalho.