quarta-feira, 25 de junho de 2014

Psicologia Escolar - A importância da intervenção do Psicologo Escolar com direcionamento artístico para crianças e adolescentes .



        O Blog do café resolveu publicar um resumo de uma intervenção do Psicólogo na prática escolar feita pela Psicóloga Cheiza Cristine  elaborado no ano de  2011 na cidade de Garça Sp.
        Certamente que o trabalho na integra foi publicado pela FASU , sendo este um exemplar resumido da intervenção.

1 - APRESENTAÇÃO: 

     O trabalho em Psicologia escolar elaborado na escola A , teve como plano inicial trabalhar  um grupo  de 30 alunos tendo entre  15 á 18 anos , alunos esses  demandados  pelos professores a partir de  relações de problemas com comportamentos em sala de aula, e problemas  de afinidade com os outros alunos. 

    A escola relatou que dentre esses 30 alunos , 20 encontravam-se com baixo rendimento escolar , relatando falta de comprometimento,  desordem, e também agressividade perante aos outros alunos e para com os professores e funcionários da escola. 
    Os trabalhos iniciais foram de uma reunião com os alunos,para saber o real motivo da agressividade e desmotivação , na busca fizemos dinâmicas de entrosamento para que fossemos aos poucos formando um vinculo de confiança .Durante algumas buscas de materiais na escola, para a estratégia de dinâmica a Psicologa encontrou instrumentos de banda marcial  (sucateados( de banda de "fanfarra" )), como beirava-se o mês de setembro foi decidido que então faríamos com autorização da direção uma banda marcial. 
     Assim que autorizado pela instituição , a Psicóloga  conversou com os adolescentes propondo para uma banda marcial, da qual todos eles poderiam ajudar a reformar os instrumentos se assim desejassem, e toca-los para uma possível  apresentação. 
   E assim fora feito, os adolescentes juntos reformaram de forma organizada  todos  os instrumentos demostrando muita alegria com o grupo e motivados á banda que estava surgindo .
   A  Psicologia contava com sua formação em Musica para direcionar todos os adolescentes empregando dinâmicas para vínculos, e conversas sobre tudo o que estava surgindo a partir do vinculo que estavam formando .
   Os ensaios duraram cerca de um mês , e nesta etapa os alunos encontravam-se socializados, motivados e disciplinados para que  continuassem com a banda marcial, atingindo os objetivos iniciais da intervenção proposta pela diretoria da escola.
   A escola demostrou em uma reunião de professores com a Psicóloga a melhora significativa dos adolescentes em nível de comportamentos e notas.. 
    Os adolescentes nesta etapa de intervenção  encontravam-se altamente ligados  á  Psicologa e ministrou toda apresentação e ensaios juntos a eles,  acreditando e motivando suas capacidades , lembrando-os que o estigma  social que alguns empunham poderiam ser apagados e que de fato aconteceu. 
  Depois da banda formada , com o vinculo dos adolescentes e a psicóloga  , o comprometimento do continuo exercício pelos professores,  foram elaboradas dinâmicas de integração aos outros alunos, 
trabalhando-se reflexões de atos anteriormente feitos, bullyng , agressividade , o mal causado por comportamentos erronios  e a potencialidade para a  mudança que todos temos dentro de nós mesmo . 
  Assim sendo a despedida fora feita em fim do mês de novembro , porém o desligamento total fora feito em dezembro de 2012, quando o quadro dos adolescentes fora completamente extinto deixando somente pontos positivos dos 30 alunos de suas queixas iniciais.  
  Justifica-se esta intervenção  com intuito de conscientizar o potencial de todos  os 30 adolescentes, que mesmo repletos de estigmas, e má conduta , conseguiram ampliar   seus conhecimentos, aumentando suas auto-estimas , estabelecendo um  vinculo maduro com a Psicóloga e Professores  da  unidade escolar e assim melhorando seus  comportamentos em sala de aula, sua conduta e notas. 
 Além desse trabalho com musica a profissional também buscou na área escolar: 

1- Desenvolver trabalhos de Orientação Vocacional e Profissional com os  alunos;a partir da aliança estabelecida durante a intervenção.
2 -Desenvolver ações preventivas junto com o corpo docente no que se refere à motivação dos alunos estigmatizados, pela própria instituição. 
3-Desenvolver ações esclarecedoras junto com o corpo docente para os alunos sobre agressividade e Bullyng.
4 -Desenvolver ações esclarecedoras junto com o corpo docente para as famílias sobe desenvolvimento humano, prevenção do uso de drogas,  sexualidade, agressividade,e  ética... 
5 -Desenvolver ações esclarecedoras junto com o corpo docente para as  famílias sobre o desenvolvimento acadêmico dos alunos e suas práticas escolares , também contando com a importância da família no ambiente escolar e a vida estudantil do aluno; 
6 -Desenvolver ações esclarecedoras junto com o corpo docente para  famílias e alunos sobre a metodologia e os objetivos da escola; 
7 -Participar com toda equipe da escola da construção de seu projeto  político pedagógico; 
8 -Desenvolver trabalho de relações grupais para que a equipe da escola  possa cada dia melhorar suas relações interpessoais. 
9 -Desenvolver mecanismos de musicalização para processo de  adaptação de ambiente escolar. 
10- Desenvolver um espaço terapêutico para atendimentos emergenciais e /ou de orientação á alunos. 

Podemos concluir que a intervenção fora de grande valia para o processo de aprendizagem dos alunos , da equipe técnica e do profissional, todos aprendemos com todos e crescemos ainda mais a partir dessa experiencia motivadora .


 


(...) sou a favor dos psicólogos práticos, a favor do
trabalho prático e, portanto, em sentido amplo, a
favor da ousadia e do aprofundamento de nosso
ramo da ciência na própria vida.(Vygotsky,1968) 



segunda-feira, 23 de junho de 2014

O Corpo e suas reações químicas - Cientistas mapeiam sensações corporais geradas das emoções


O café trouxe um texto que está rodando na internet sobre as emoções e reações químicas do corpo da fonte: "Cristais Aquarius". Achamos a pesquisa de fato interessante e resolvemos postar no blog, pois todo conhecimento na área de emoções é valido. É valido ressaltar também que que as emoções estão ligadas ao sistema nervoso e são desencadeadas por reações químicas, já não é novidade. A neurociência vem nos brindando com inúmeras descobertas e muitas publicações já foram feitas e continuam surgindo.  Esse assunto continua despertando o interesse da ciência, neuro e Psicologia , pois possibilita a compreensão dos mecanismos que ocorrem no organismo que desencadeiam nossas emoções e os consequentes comportamentos.Segue logo a baixo a pesquisa, sobre a reação e o efeito químico no organismo,é muito interessante a imagem das reações logo ao fim do texto. 

"Cientistas mapeiam sensações corporais geradas das emoções: 
O estudo, realizado por pesquisadores finlandeses, contou com 701 participantes, que foram convidados a colorir as partes do corpo cuja atividade sentiam aumentar ou diminuir ao visualizar determinadas palavras, histórias, filmes ou expressões faciais. As sensações mais fortes eram pintadas com cores quentes (amarelo e vermelho), enquanto as mais fracas, com cores frias (azul e preto).
O mapeamento confirmou aquilo que as pessoas muitas vezes descrevem ao relatar emoções fortes. A raiva foi expressa por manchas amarelas e vermelhas bem fortes na cabeça, no pescoço, no tórax e nos braços. Já a felicidade foi marcada por tons iluminados da cabeça aos pés. No extremo oposto aparece a depressão, ilustrada com tons de azul e preto em todo o centro do corpo – sugerindo uma sensação de vazio.
Quase todas as emoções geraram mudanças na região da cabeça, provavelmente pelo desejo que as pessoas sentem de franzir a testa, sorrir, abraçar alguém ou dar um soco. Já sensações no sistema digestivo e na região da garganta foram mais fortes quando os sentimentos eram de ansiedade ou desprezo.
Participantes da Finlândia, de Taiwan e da Suécia pintaram mapas corporais semelhantes, sugerindo que as descrições não são limitadas a determinada cultura ou idioma.
Os autores observam que, fisiologicamente, a maioria das emoções testadas no estudo só causam uma pequena alteração na frequência cardíaca ou na temperatura da pele. Mas, pelos resultados, dá para concluir que os estados mentais geram percepções subjetivas no corpo – e o curioso é que elas são basicamente as mesmas para todo mundo."
Fonte: Cristais Aquarius