sexta-feira, 26 de junho de 2015

Mecanismos de defesa: REPRESSÃO


Em sequência ao primeiro post vamos falar de cada mecanismo de defesa, iniciando por REPRESSÃO.

Podemos dizer que a Repressão consiste em afastar uma determinada coisa do consciente idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, mantendo-os no inconsciente.

A repressão afasta ideias ou percepções potencialmente provocadoras de ansiedade e impede, qualquer "manipulação" possível desse material.

Entretanto, o material reprimido continua fazendo parte da psique do indivíduo, apesar de inconsciente e adormecido, porém continua causando problemas e prejuízos ao bem estar do indivíduo.

Segundo Sigmund Freud, a repressão nunca é realizada de uma só vez porém, exige um consumo contínuo de energia para se manter o material reprimido ao inconsciente, podendo se revelar e trasbordar por atos-falho no processo de dia a dia.

Para Freud os sintomas histéricos com freqüência têm sua origem em alguma repressão do indivíduo como também algumas doenças psicossomáticas, como asma, artrite e úlcera, também poderiam estar relacionadas com a repressão, onde o corpo fala o que a boca não trasborda.

Também é possível que o cansaço excessivo, as fobias e a impotência ou a frigidez derivem de sentimentos reprimidos.

Em suma é comum o ser humano reprimir sentimentos até mesmo pelo "ser aceito em sociedade", o que de fato preocupa é até onde reprimir e o porque reprimir, na Psicanálise e na Psicologia se estabelecem várias formas do indivíduo se entender e assim então livrar-se desses tipos de mecanismos de defesa.


Leia o próximo artigo de mecanismo de defesa: "Negação"

Nenhum comentário:

Postar um comentário