sexta-feira, 26 de junho de 2015

Mecanismos de defesa: REPRESSÃO


Em sequência ao primeiro post vamos falar de cada mecanismo de defesa, iniciando por REPRESSÃO.

Podemos dizer que a Repressão consiste em afastar uma determinada coisa do consciente idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, mantendo-os no inconsciente.

A repressão afasta ideias ou percepções potencialmente provocadoras de ansiedade e impede, qualquer "manipulação" possível desse material.

Entretanto, o material reprimido continua fazendo parte da psique do indivíduo, apesar de inconsciente e adormecido, porém continua causando problemas e prejuízos ao bem estar do indivíduo.

Segundo Sigmund Freud, a repressão nunca é realizada de uma só vez porém, exige um consumo contínuo de energia para se manter o material reprimido ao inconsciente, podendo se revelar e trasbordar por atos-falho no processo de dia a dia.

Para Freud os sintomas histéricos com freqüência têm sua origem em alguma repressão do indivíduo como também algumas doenças psicossomáticas, como asma, artrite e úlcera, também poderiam estar relacionadas com a repressão, onde o corpo fala o que a boca não trasborda.

Também é possível que o cansaço excessivo, as fobias e a impotência ou a frigidez derivem de sentimentos reprimidos.

Em suma é comum o ser humano reprimir sentimentos até mesmo pelo "ser aceito em sociedade", o que de fato preocupa é até onde reprimir e o porque reprimir, na Psicanálise e na Psicologia se estabelecem várias formas do indivíduo se entender e assim então livrar-se desses tipos de mecanismos de defesa.


Leia o próximo artigo de mecanismo de defesa: "Negação"

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Mecanismos de Defesa


   Os mecanismos de defesa são uma denominação dada por Sigmund Freud para a manifestação do Ego diante das exigências do Super-Ego.
   Para compreender os mecanismos de defesa precisamos compreender a  forma como se dá a organização do ego, sendo que quando bem organizado, tende a ter reações mais racionais. Todavia, as diversas  vivencias individuais  podem desencadear sentimentos inconscientes, provocando reações menos racionais  ativando então os diferentes mecanismos de defesa do ego, com a finalidade de proteger o Ego de uma possível frustração psíquica, anunciado por esses sentimentos de ansiedade, medo e culpa.

   Cada mecanismo de defesa tem uma forma específica de se efetivar, sabendo-se que há vários mecanismos de defesa como: Racionalização, Isolamento, Sublimação, Projeção, Repressão, Formação reativa, Identificação, Regressão, Negação entre outros os quais abordaremos especificamente e detalhadamente nos próximos posts.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Carta resposta sobre dar e receber: Uma reflexão.

“Aprender é descobrir aquilo que você já sabe. Fazer é demonstrar que você sabe. Ensinar é lembrar aos outros que eles sabem tanto quanto você.Vocês são todos aprendizes, fazedores e professores” Richard Bach, no livro Ilusões.

   Um círculo formado por algumas pessoas. Certamente, em algum momento na sua vida, você já deu as mãos, fazendo um círculo, com outras pessoas, mesmo que para brincar de roda. Você prestou atenção às palmas da sua mão ao segurar a mão de uma pessoa que está ao seu lado?
   O círculo é uma forma geométrica perfeita, sem falhas, onde dois pontos se encontram formando um elo,  uma só união; onde todos podem ver e serem vistos, onde ninguém está na frente ou atrás. Tudo de igual para igual, num todo. 
   No círculo, não existe quem sabe mais e quem sabe menos, o irmão mais novo, o mais alto ou o que ganha mais ou menos. Todos têm a sua sabedoria individual e sua experiência de vida, que só este indivíduo passou no mundo. O círculo simboliza o dar e receber contínuo em nossas vidas: enquanto estou dando com uma mão, estou recebendo com a outra.
   É por isso que ao formarmos um círculo, devemos dar as mãos da seguinte forma:
Uma palma da mão direita fica voltada para baixo e a da esquerda voltada para cima.

- A mão direita representa toda a nossa força, nossa capacidade de ação no mundo e quando nos sentimos fortes, podemos sempre estender nossa mão e ajudar o outro.
- A mão esquerda, é a mão do coração, representa o nosso lado frágil e quando estamos fragilizados, é importante todo o apoio, palavra e mão amiga que recebemos, com a força da ação que só a direita traz.

   Dar e receber.
   Tem pessoas que sabem dar, mas não sabem receber de forma sábia, e há pessoas que recebem porém não sabem compartilhar.
  Tem pessoas que compartilham da "caridade"  esperando receber algo em troca, até o simples obrigado é algo em troca.
  Tem pessoas que recebem e nada compartilham, simplesmente por acharem que não podem compartilhar pois outrora irá faltar-lhes.
  Onde será que está o ponto de equilíbrio entre dar e receber? De fazer a caridade e receber a caridade?
   O ponto de equilíbrio pode ser o amor.
  Quando nos ligamos no amor a outro ser humano ou a vários, algo sutil, precioso e magnifico pode acontecer, onde não tem mais importância o dar e receber, nos ligamos à grande energia que rege o universo, passamos a conhecer a medida das coisas e a saber ouvir as próprias necessidades e as necessidades dos outros, sem fazer uma notinha do que o outro está devendo a você, sem cobrança , colocando somente o bem estar total do ambiente. Não importa quem ajuda mais e quem ajuda menos, não importa que você deu R$ 100,00 e seu irmão te ajudou com R$10,00, o importante é o ajudar quando necessário, ouvir quando precisar e a sorrir profundamente por dar e receber.
   Passamos a entender profundamente cada momento e cada pessoa, assim como são. E aprendemos que dar é receber, receber é dar.

   Deixo aqui  uma pequena estória adaptada de um conto de Hermano Hesse simplificando o dar e receber:
“José e Daniel foram dois renomados curandeiros que viveram em tempos bíblicos. Ambos eram muito eficazes, ainda que trabalhassem de maneiras e com estilos diferentes. 
Ainda que contemporâneos, nunca tiveram um encontro e se consideravam mutuamente rivais. Foi assim durante anos, até que José, o mais jovem, adoeceu espiritualmente. 
Desesperado e sentindo-se incapaz de curar-se a si mesmo, partiu em peregrinação buscando a ajuda de Daniel. Durante seu percurso, descansando em um oásis durante a noite, iniciou uma conversa com outro viajante que, ao escutar o propósito de sua viagem, ofereceu-se como guia para ajudá-lo em sua busca por Daniel. 
Partiram juntos e, no meio de sua longa expedição, o homem mais velho revelou sua identidade. Ele era Daniel, a quem José procurava. 
Ato contínuo, passado o assombro de José, Daniel o conduziu até sua casa, convidando-o a permanecer ali. No princípio, diante do pedido de Daniel, José foi seu servente. Logo aprendiz e, finalmente, um colega de igual hierarquia. Assim viveram e trabalharam juntos muitos anos. 
Anos depois, velho e doente, Daniel pediu a José que escutasse uma confissão. Começou recordando seu encontro no oásis quando José, doente, viajou em busca de sua ajuda e como José havia considerado milagroso aquele encontro. Agora, enfrentando sua própria morte, Daniel quebrou o silêncio de tantos anos confessando que, para ele, também foi milagroso.
 Ele também, naquela época, havia caído em um sombrio desespero, sentindo-se vazio espiritualmente e incapaz de curar a si mesmo. Aquela noite do encontro, ele havia iniciado sua própria viagem em busca da ajuda do famoso curandeiro chamado José.”

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Como interpretar o HTP ou HTPF

Uma das maneiras mais eficazes de análise projetiva é o teste HTP, usado em clínicas de Psicologia onde avalia-se a simbologia usada pelo processo de projeção do indivíduo no desenho estabelecido.

A interpretação do teste requer muito cuidado e precisão do Psicólogo, pois é muito minucioso e detalhadamente rigoroso a análise total do teste, podendo levar dias ou semanas para a interpretação.

Alguns sites expõe a análise clínica com rótulos de desenhos, como por exemplo, os tipos de ego, porém temos que levar em conta a história de vida do paciente, a vivência real que ele já teve, fantasias e processos inconscientes que também se encontram na simbologia de análise .

Interpretar um HTP não é simplesmente seguir o que está exposto no site, ou em algum livro de base. Interpretar o HTP é ouvir o grito dos desenhos, é sentir a alma da criança, do jovem e do adulto. Interpretar o HTP não é simplesmente seguir regras básicas de traços, é saber o que os traços representam para aquele indivíduo, os traços representam cada suspiro, cada lágrima, e cada processo que só aquele individuo passou. Uma análise bem sucedida vai além dos livros, ela toca na alma.

Leia sobre HTP disponível em:

Imagem HTP disponível em: <https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRg01R9dbTmtOE4TV1OqIQ5vvJj09OSqEe_nNxT0VPF8fcCl89ptg>

segunda-feira, 1 de junho de 2015

HTP - House, Tree, Person - Teste Psicológico

     
   Muitas pessoas perguntam sobre a utilidade do HTP (Teste projetivo), para análise clínica ou em admissões de empresas, perguntando-se sobre a necessidade ou simplesmente o porque do teste .
   O HTP ou HTPF é um teste de análise projetiva de desenhos deriva da interpretação das teorias de Sigmund Freud sobre personalidade.
   O HTPF  é usado principalmente para analisar  crianças que tem dificuldades em expor o que está acontecendo em seu mundo particular, considerando que o desenho é um hábito comum entre as crianças, a criança desenhará a sua realidade, suas fantasias, conceitos de mundo e vivências. O trabalho interpretativo com crianças geralmente é feito juntamente com a análise clínica para uma melhor compreensão da individualidade e processo de criação da criança, juntamente com a dinâmica de personalidade e vivência positiva e negativa que mais tarde na terapia se trabalhará em processo clínico.

   O teste HTP, aplicado em adultos, é utilizado para a detecção da realidade interna, tentando ultrapassar a barreira sobre como utilizamos uma persona, e como podemos vestir a persona no dia a dia escondendo os monstros do passado e o verdadeiro "eu". Neste sentido, através do uso do desenho, busca-se a exatidão da psiquê através do que se revela: a essência, o fenômeno existencial, o homem como é, sem mascaras sociais, podendo-se visar o passado e o presente do mesmo, com suas marcas e progressos .

   O HTP ou HTPF, são utilizados em contexto clínico onde o indivíduo desenhará uma casa, uma pessoa, uma árvore e em alguns casos a família. Cada traço do desenho é avaliado, juntamente com outros instrumentos de avaliações que são usados juntos com o HTP em análise clínica, onde o resultado mostra traços de personalidade, através do processo simbólico dos desenhos, podendo ser referência para um psicodiagnóstico eficaz.


             
        "Diagnosticar é, neste sentido, interpretar, construir hipóteses que nos permitam dar conta do trabalho            simbólico junto aos conflitos que se estruturam no caminho de construção da subjetividade, assim como abordar as formações imaginárias que se apresentam como armadilhas do desejo para a sua satisfação" (SIGAL, 2000, p. 30).




SIGAL, A. M. Considerações sobre o psicodiagnóstico: Provocando o inconsciente Revista Psicanálise e Universidade, 12-13, 27-43 (2000).


HTPF: <https://cld.pt/dl/download/86daa490-a43c-479c-9f76-ae763b412783/HTP-manual%20e%20guia%20de%20interpreta%C3%A7%C3%A3o.pdf> 

Imagem 1: <http://aquafon.deviantart.com/art/House-Person-Tree-342983228>
Imagem 2: <http://www.ehow.com.br/interpretar-teste-casaarvorepessoa-como_33008>